Tem alguns dias que estava me perguntando desde quando mudei as fotos do meu facebook para as imagens da banda Pussy Riot. Verifiquei agora: 17 e 18 de agosto de 2012!

Conjugar arte e política. Tornar novamente as ideias perigosas. Tornar o punk algo subversivo no mundo contemporâneo, para além dos discos e dos shows. Foram algumas das coisas que elas fizeram. E há seis meses estão pagando caro, muito caro por isso tudo que fizeram por todos e todas nós que acreditamos e também lutamos para criar outros mundos possíveis.

As notícias chegam de várias partes do mundo e quase sempre em outro idioma, o que dificulta para mim e para a maioria de nós saber como andam as coisas. E ontem assinei uma petição pedindo que as duas garotas que estão presas nos campos de trabalho forçado sejam transferidas de lá, a partir de onde pude ver que as coisas estão caminhando para o pior! O site da petição tem link para uma notícia que demonstra que uma das garotas foi hospitalizada em primeiro de fevereiro devido a doenças relacionadas aos trabalhos forçados que tem sido obrigada a realizar desde que foi para a prisão.

Uma das integrantes da banda punk russa Pussy Riot foi hospitalizada por doenças relacionadas ao trabalho prisional, relata a Associated Press. Nadezhda Tolokonnikova já teria sofrido fortes dores de cabeça desde o ano passado, quando, aos 23 anos de idade, começou a cumprir sua pena de dois anos por acusações de vandalismo.

Super angústia! Não sei bem o que fazer! Penso mesmo em manter as imagens das garotas no facebook, para que não me esqueça delas nenhum dia, para fortalecer a rede que prossegue se mobilizando em torno da questão, para potencializar sua ação.

Enfim, segue esta postagem como meio de demonstrar que as coisas não acabaram mas que a luta também prossegue. Podem assinar a petição clicando aqui: ao assinar, você subscreve um documento que pede a transferência imediata de duas garotas da banda (Maria e Nadezhda, que estão presas e submetidas ao trabalho forçado nos campos prisionais) para Moscou, onde as condições prisionais devem ser menos malditas e onde elas também podem ficar perto de seus filhos.

Façamos nossas orações punks mundo afora!

Fora Putin!

Liberdade para Pussy Riot!

Abaixo o fascismo!

No pasarán!

Anúncios