Ser livre no império de empresários e autoridades.
Ser lúcido entre ondas de ar e sedativos.
Acreditar em si próprio sob a tirania da realidade consensual.
Ser sensível vivendo ao alcance de oficinas com condições desumanas, estádios e matadouros
Com o cheiro de sangue no ar.
Sonhar com beleza, com as estrelas arrancadas do céu.
Os anjos engaiolados e os heróis demonizados.
Cantar com a garganta cheia do algodão da inibição.
Escrever sobre graça com mãos calejadas e faces ensangüentadas:
Ousar gritar, e até chorar, orgulhosamente, ante os olhos zombadores dos juízes, do carrasco e da multidão.
Mentir, enganar, roubar e trair o quanto for necessário
Ser honesto,
Dizer a verdade.
Não ter medo: mover-se e seguir esse movimento
Até mesmo na morte, viver para se incendiar nos escombros.
Dar tudo:
Beijar sem apreensão, vergonha ou comedimento,
Fazer amor na cidade do ódio.
E sim, estar vivo.
Vivo na terra dos mortos.

 

Desde o princípio da semana começaram a circular pelo Facebook alguns vídeos de shows da banda Catharsis.

O Catharsis é uma banda emocore, de algum lugar dos estados unidos, que terminou em 2002. Agora, uma década passada, reuniram-se para realizar alguns poucos shows e, de quebra, o coletivo Crimethinc irá lançar uma grande caixa com toda a discografia dos caras em vinil.

Uma das faixas a ser lançada chama-se Absolution e é totalmente inédita (para mim, pelo menos!). Alguém, no espírito do comum e abençoado por São Precário, decidiu compartilhar a música via web! Tentei construir um daqueles vídeos que não são vídeos no youtube com o som, mas não deu. Fiz então este soundcloud para toda a galera.

O som é duro. Trágico. É ouvir uma vez para sentir aquela forte presença nietzscheana da tragédia. O mundo está aí, é mesmo uma porcaria, mas é nele que estamos e vamos nos virando. Sem drama.

Anúncios