Se as crianças conseguissem que seus protestos, ou simplesmente suas questões, fossem ouvidos em uma escola maternal, isso seria o bastante para explodir o conjunto do sistema de ensino.

Deleuze

 

O mesmo pode ser dito a respeito do papa Bento (Maldito?) 16. Sua recente declaração a respeito das teorias de gênero mostra, antes de mais nada, a fragilidade de uma igreja que tem suas estruturas (de pedra e de palavras) caducas. Sua estratégia, penso eu, consiste em cobrir todos os lugares que possam desconstruir o que ele e sua igreja pensam a respeito do mundo e da vida como um todo.

Sua igreja, aliás, está em defesa de que? Daquilo que já está dado de antemão! Quase tudo é produzido de modo a barrar a invenção de modos de vida singulares.

Com relação às crianças e sua educação (seria antes necessário dizer sua configuração!), as crianças chegam a um mundo em que a única possibilidade consagrada é a da heterossexualidade. Elas devem tão somente integrar-se a essa possibilidade. Dizem: isso é natural e está nas escrituras. Dizem: os desvios podem e devem ser corrigidos, pois são uma ameaça às crianças, à família, à humanidade.

Os efeitos disto podem ser sentidos e percebidos de diferentes modos. Beatriz Preciado, num artigo publicado um dia após uma marcha ocorrida na França contra o “casamento gay”, nos permite ver por meio de suas palavras que aqueles que afirmam estar defendendo as crianças e seus direitos estão, efetivamente, defendendo tão somente o poder de educar os filhos dentro da norma sexual e de gênero, como se fossem supostamente heterossexuais. Defendem o direito das crianças serem educadas para tornarem-se futuros úteros e  futuros produtores de esperma, força de trabalho e de reprodução (retomando as trágicas imagens do artigo de Beatriz). 

Prefiro ficar com Deligny: não tenho a intenção de educar ninguém, só a intenção de criar as circunstâncias favoráveis para que se saiam bem e para que vivam. Que nosso trabalho seja capaz de potencializar as muitas invenções das crianças – com suas roupas, com seus corpos, com seus pensamentos e com suas palavras.

Este mundo e esta vida são muito mais fortes do que o outro mundo e a morte que norteiam Maldito e sua corja!

Anúncios