Hoje um vídeo veiculado pela assessoria de imprensa do Lula mostrava-o, com sua companheira, agradecendo o apoio e a força que estava recebendo. Voz rouca, fraquinha, ele mesmo lamentando não poder dizer “companheiros e companheiras” com mais potência. Ao mesmo tempo era todo otimismo, certeza de que na vida vencemos apenas com luta. Luta Lula!

Continuo muito afetado pelas manifestações que seguem seu caminho pela internet. Nunca vi tanta gente que nunca moveu uma palha para mudar o mundo expressando opiniões políticas sobre o SUS ou sobre o modo como se governam os pobres nesse país. Médicos que, de repente, dizem que se importam com o modo como os pobres são tratados no SUS?

Essas pessoas TALVEZ ignorem que existem fóruns, movimentos populares, grupos de trabalho, e muitos outros espaços e movimentos que fizeram surgir um sistema público de saúde único no mundo, que atende a mais de cem milhões de pessoas. Elas não ignoram, mas nunca participaram e duvido que um dia irão participar!

O que essas pessoas também TALVEZ ignorem é que suas manifestações são a emergência em estado bruto de um ódio – que agora é canalizado na figura do Lula. Mas é um ódio contra os homens e mulheres comuns das periferias do Brasil. Que viajaram de pau-de-arara. Que construíram suas casas com suas próprias mãos. Que estudaram somente o necessário. Que, quando leem, leem as páginas dos evangelhos. Enfim, aquilo que caracteriza as pessoas que moram comigo em casa e quase todos os meus vizinhos que tem mais de 50 anos de idade!

Por último: TALVEZ essas pessoas também ignorem que nunca farão mais nada pelo SUS em suas vidas. Ou melhor: algumas continuarão defendendo a privatização; outras continuarão pagando planos de saúde para não correrem o risco de usar hospital lado a lado com os pobres; outras continuarão dizendo que LUGAR DE POBRE É NA FILA.