Amo esse homem. Nascido em 1945. Gastou tudo que tinha com bebidas, mulheres e corridas de cavalos. Brigão, ostenta marcas desta característica visivelmente em seu rosto. Na última quinta-feira, dirigiu-se à minha pessoa levemente embriagado. Pediu desculpas por descumprir o combinado (não chegar em tal estado). Disse ele:

“Desta vez levaram tudo. Primeiro levaram a janela. Agora levaram as roupas sujas, os sapatos sujos, a lâmpada e a fiação. Como é que não vou beber?”.

Nunca ouvi palavras tão genuinamente sóbrias em toda minha vida. Mesmo que as mesmas estivessem encharcadas de algum tipo de bebida estupidamente barata.

Anúncios