Tive a oportunidade de ler parte do capítulo teórico da monografia do Vitor, sobre Jogos Eletrônicos, Educação e Subjetivação. Se fosse necessário utilizar uma única palavra para descrever este capítulo, não poderia usar uma que não fosse “maravilhoso”.

Embora as referências sejam muitas, muitas mesmo, Vitor está conseguindo realizar a escrita de um texto ágil e veloz. Muito mais do que um aglomerado de conceitos, está conseguindo criar um texto que pode inclusive servir de material de fundamentação de outros textos.

O lance é que não está parecendo superficial. A maneira como os conceitos estão unidos deixou em mim a sensação de que o escritor sabe do que está escrevendo, e isso nem sempre acontece em monografias.

Falando sério: se a coisa continuar seguindo esse rumo, vale a pena encaminhar para o pessoal do Rio Grande do Sul, da UFRGS. Não tenho dúvidas de que poderia ser incluído na publicação de um daqueles livros organizados pela Tania Mara G Fonseca, como é o Cartografias e Devires.

Firmeza total!

Anúncios